Projetos robóticos invadem diferentes espaços da indústria

Com o crescimento do uso de máquinas, na produção de produtos de diversos setores, como a alimentícia, a automobilística, de equipamentos domésticos e até mesmo na área de logística, o crescimento do consumo de energia acompanhou a demanda.

As fábricas e indústrias já alcançaram um patamar de robotização de sua linha de produção, que não há mais volta.

Entendendo a importância para o mercado de consumo, muitos empresários se uniram, e criaram condomínios empresariais, com a finalidade de disponibilizar espaços dedicados à produção para o consumo de massa.

Facilitando sobremaneira a mobilidade urbana, a concentração de fornecedores e consumidores de matéria-prima em estado bruto, e a logística de abastecimento, alcançando portos, aeroportos, e centros comerciais de distribuição e pontos de venda direto ao consumidor.

Com robotização, energia deve ser constante

Para alcançar a eficiência, nos mais diferentes pontos de atuação, foi preciso buscar novas formas de fornecimento de energia, para não depender única e exclusivamente das concessionárias elétricas, que sofrem constantemente com o recesso, em períodos de seca.

Quando as hidrelétricas ficam desabastecidas, e terem que desviar energia para suprimentos de primeira necessidade, como escolas, hospitais, e o consumidor primordial, que é a população, em geral.

Para isso, buscaram no setor de produção energética novas formas de abastecimento, e encontraram na automação de geradores de energia uma solução viável, com um custo que atende de maneira satisfatória, todos aqueles que precisam da energia elétrica destinada às mais diversas linhas de produção.

Com um sistema integrado ao fornecimento de energia das concessionárias, a automação se dá por meio de máquinas e programas de computação inteligentes, que abastecem todo o parque industrial ao menor sinal de dificuldade de abastecimento das redes elétricas advindas das hidrelétricas.

Como o gerador de energia pode ser abastecido com combustível fóssil, como gasolina ou diesel, a disponibilidade dos equipamentos se tornou essencial para o crescimento empresarial, atendendo com eficiência e de maneira constante, todos os parques industriais.

Os espaços tomados pelos condomínios industriais se concentraram em grandes áreas, disponibilizadas próximas a estradas e linhas férreas, para a facilidade de transporte.

Mas, também buscaram locais que contam com rios, permitindo a construção de usinas hidrelétricas que comportam o consumo necessário para as empresas.

Como são equipamentos que passam por manutenção preventiva constante, é muito raro a necessidade do conserto de gerador de energia.

Mas, quando isso acontece, e as concessionárias não conseguem atender de forma satisfatória os parques industriais, a produção de energia elétrica pode ser realizada por meio das pequenas hidrelétricas, que entram como uma contrapartida, em negociações com governos municipais, estaduais e federais.

Planejamento prevê economia nos custos

A aplicação de recursos na construção de uma empresa parte do pressuposto de lucro, e por isso, muitos estudos, pesquisas de opinião e negociações são realizadas, entre empresas, governos e oportunidade de mercado.

Por isso, muitos projetos de automação industrial são realizados em municípios que apresentam diversas oportunidades para o empresariado.

Entre estas oportunidades, o corpo diretor observa quais as vantagens podem ser aproveitadas, e como os obstáculos podem ser superados.

Além do fornecimento de energia ser um fator preponderante para a instalação de uma fábrica ou indústria, outros aspectos devem ser levados em consideração, como:

  • Facilidade de acesso a portos e aeroportos;
  • Matéria prima disponível na região;
  • Mobilidade urbana eficiente e atrativa;
  • Presença de mão de obra especializada.

Muitos equipamentos e máquinas industriais dependem da energia elétrica para trabalhar na capacidade máxima, e por isso a automação industrial deve ser muito bem aplicada, e projetada de maneira eficiente, nas plantas das fábricas.

Esse trabalho fica sob a responsabilidade de uma equipe de técnicos e engenheiros, que fazem os estudos preliminares da área, e a possibilidade de instalação.

Geradores de energia se tornam essenciais para este tipo de aplicação, pois eles serão responsáveis pela alimentação de energia das máquinas, quando as concessionárias apresentarem problemas técnicos, o que pode ocorrer de maneira recorrente.

As máquinas passam por um processo de instalação e funcionamento, desenvolvido pela equipe de engenharia de controle e automação, que irá acompanhar, diuturnamente, todo o processo de fabricação das linhas de montagem.

Com isso, as máquinas robotizadas podem atender às tarefas insalubres, antes realizadas por mão de obra humana, com maior eficiência e com a qualidade do produto garantido, ao final da linha de produção.

redator Autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *